"Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência..."

Vamos orar pelo Vietnã!

Separe cinco minutos para ler e orar pela Igreja Perseguida!

Uma campanha do Instituto Ágape de Evangelismo e Missões, em apoio ao trabalho da Missão Portas Abertas e aos cristãos perseguidos por causa do Evangelho.

A Igreja e a Perseguição Religiosa

A Igreja

Segundo a tradição, o Cristianismo chegou ao sudeste asiático por volta do século X através dos seguidores de Nestório*.

A igreja vietnamita ocupa uma posição minoritária, abrangendo cerca de 7 milhões de pessoas ou 8% da população do país. Desse total, seis milhões são católicos, enquanto a maior parte dos protestantes pertence às minorias étnicas tribais – metade delas já alcançadas pelo Evangelho.

O governo permite o trabalho de organizações cristãs no país, especialmente daquelas que procuram atuar nas áreas de desenvolvimento e ajuda humanitária.

*Nestório (em grego: Νεστόριος; ca. 386 – ca. 451) foi um monge, oriundo da Anatólia, que se tornou arcebispo de Constantinopla entre 10 de abril de 428 e 22 de junho de 431. Acreditava que em Cristo há duas pessoas (ou naturezas) distintas, uma humana e outra divina, completas de tal forma que constituem dois entes independentes. A sua crença tornou-se a base do nestorianismo.

A Perseguição

A constituição do país prevê liberdade religiosa, mas na verdade o governo restringe algumas atividades. Embora ainda persistam certas restrições às liberdades individuais, a nação tem aumentado gradualmente suas relações com o resto do mundo.

Teoricamente, há liberdade religiosa no Vietnã. Na prática, porém, apesar de a vida religiosa nas congregações ser geralmente tranquila, a igreja vietnamita enfrenta restrições e dificuldades nas esferas distritais e nacionais. Em 1999, um decreto estabeleceu a liberdade de credo, dando aos cidadãos o direito de escolher e mudar sua opção religiosa. No entanto, o próprio decreto de 1999 adverte sobre as punições para quem utilizar a religião com o intuito de prejudicar o Estado.

Em abril de 2001, o governo vietnamita reconheceu oficialmente algumas igrejas evangélicas pertencentes à Hoi Thanh Tin Lanh Viet Nam (Igreja Evangélica do Sul do Vietnã), denominação que corresponde ao maior grupo protestante do país. Foi a primeira vez que a organização obteve um “status” de legalidade desde o fim da Guerra do Vietnã, em 1975.

Diplomatas e protestantes viram o processo de legitimação como uma modesta concessão, depois de anos de repressão, mas observaram que muitos cristãos evangélicos não foram beneficiados, pois apenas cerca de 300 igrejas foram reconhecidas. Entre os excluídos encontra-se a maioria dos protestantes pertencentes às etnias minoritárias, os mais atingidos pela perseguição. Um obreiro cristão afirmou: “O líder do partido local detém total controle sobre o destino de uma igreja; isto é, ele pode decidir se ela deve permanecer ou ser incendiada. Além disso, ele pode arbitrariamente sentenciar pastores a curtos períodos de trabalhos forçados nos campos.”

História e Política

O Vietnã localiza-se no sudeste asiático. Seu território caracteriza-se pelas planícies alagadas nos deltas do Rio Vermelho ao norte e do Rio Mekong ao sul, e por montanhas nas regiões norte e central. O nome do país foi criado no século XIX e deriva da expressão viet-nam, que significa “estrangeiros do sul”.

Os primeiros habitantes da região do atual Vietnã datam dos períodos mais antigos da história da humanidade (Paleolítico e Neolítico), mas a atual estrutura do povo vietnamita e de seu país vem do povo Lac, que se estabeleceu próximo ao rio Vermelho e se misturou com outros povos da região.

Do século X ao XVIII, o Vietnã era dividido em territórios feudais, considerados pequenos reinos unidos em um Estado independente chamado Dai Viet. Durante aproximadamente 1000 anos, a região foi dominada por dinastias do Império Chinês e pelos mongóis. Através dessas culturas, o Budismo e o Confucionismo foram introduzidos no país, gerando características culturais e populares distintas.

Na segunda metade do século XVIII, as tropas francesas de Napoleão começaram a invadir o país, transformando-o em um protetorado. Os vietnamitas se organizaram, então, em guerrilhas comunistas denominadas de Viet-Congs.

A nação vietnamita possui muitas cicatrizes deixadas pelas diversas formas de tormentos e agressões sofridas. Desde 1941, o país tem passado por guerras e dificuldades, em parte como consequência da instauração do governo comunista em 1945, quando se declarou independente do domínio francês, proclamando a República Democrática do Vietnã. Em 1975, o Vietnã do Norte, de orientação comunista (apoiado pela União Soviética), conquistou o Vietnã do Sul, capitalista (apoiado pelos EUA), depois de três décadas de conflito. O país foi reunificado no ano seguinte. Em 1978, o Vietnã invadiu o Camboja, dando início a um conflito que durou até 1989, quando as tropas vietnamitas se retiraram do território cambojano.

O Vietnã é controlado por um governo de orientação comunista, cujo sistema legal baseia-se em uma mescla do código civil francês com a doutrina comunista.

População

O país possui quase 90 milhões de habitantes, 25% dos quais têm idade inferior a 15 anos. Apenas 30% da população vivem em centros urbanos, enquanto o restante habita pequenos vilarejos rurais. Quase todos os vietnamitas pertencem à etnia quine, mas há alguns grupos étnicos minoritários, como os chineses e os haos.

Cerca de metade da população vietnamita professa o budismo, enquanto uma pequena parcela segue novas religiões asiáticas ou antigas crenças animistas.

Economia

A economia vietnamita é baseada na agricultura, cujos principais produtos são: arroz, café, chá, cana-de-açúcar e borracha. Devido aos estragos causados pelas guerras e à perda da ajuda financeira soviética, a economia do país é muito pobre e debilitada.

O país também se dedica à exploração de carvão, fosfato e cromo; suas indústrias investem nos setores de alimentos, têxteis, algodão e cimento. Os principais parceiros comerciais do Vietnã são: Japão, Singapura, Coreia do Norte, Coreia do Sul e Taiwan.

Motivos de oração:

- Cristãos tribais formam quase 70% da população protestante. Esse grupo experimenta restrições impostas pelo Estado sobre as atividades cristãs. Ore para que eles possam crescer espiritualmente, apesar das dificuldades.

Fonte: Missão Portas Abertas