"Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência..."

NILTON E FRANCIELE - CUMPRINDO O IDE FALANDO SOBRE SEXUALIDADE

Uma das bases de nossa fé cristã é esta, que o Evangelho transforma, o Evangelho liberta. A mídia, a indústria do entretenimento e a internet passam uma imagem de uma sociedade muito bem ‘resolvida’ sexualmente e extremamente feliz com suas infinitas possibilidades de prazer. Mas o que vemos na prática são pessoas confusas, por vezes perdidas e aprisionadas por seus próprios desejos tiranos.

Projeto “Contra a Maré”
      “Queremos proclamar o plano original de Deus para a sexualidade humana; enfatizando a identidade, a pureza, a integridade pessoal, a liberdade e a verdade. Este é o nosso desejo, contribuir para a expansão do Reino de Deus na terra neste campo.” 

Sim, é desta forma que os missionários Nilton e Franciele estão cumprindo o IDE, falando sobre a sexualidade!

Infelizmente a realidade da igreja não tem se afastado muito disso, em muitos casos, lidam com o assunto de forma legalista e repressora. A igreja tem acobertado suas dificuldades e, ao invés de promover um diálogo franco e gracioso, acaba sendo ‘engolida’ pela pós-modernidade. Assim, pessoas dentro das igrejas padecem da mesma condição e do mesmo desajuste de tantas outras no mundo. Esta confusão pode facilmente ser substituída por prisão, ou no mínimo estagnação; a questão é que qualquer um dos três ‘estados’ definitivamente não fazem parte dos planos de Deus para nossas vidas.

         Nilton e Franciele desejam ser instrumentos nas mãos de Deus para transformar esta realidade, auxiliando pessoas a serem livres para fazerem suas escolhas na área da sexualidade com o conhecimento da Verdade que liberta. Na prática, o trabalho deles consiste, inicialmente, em ensino, discipulado e aconselhamento.


Quem São:
Uma família missionária composta por quatro membros: Nilton César (40 anos), Franciele (35 anos), Pedro (7 anos) e Miguel (3 anos). O Nilton é formado em Comunicação Social com Pós graduação em Marketing e a Franciele é formada em Psicologia com Pós graduação em Terapia Sistêmica.

         São todos naturais de Uberlândia/MG e membros da Igreja Presbiteriana Central de Uberlândia.

         A caminhada desta família missionária começou há quatro anos atrás quando tomaram uma decisão radical, mudando o rumo de sua história e saindo para uma nova experiência com Deus. A partir desta época fizeram a Escola de Treinamento e Discipulado (ETED) em 2011, na JOCUM (Jovens com Uma Missão), em Recife/PE; depois a Escola para Obreiros e Líderes, em 2012, no CCL ( Centro de Capacitação de Líderes), em Curitiba/PR e também um ano do Curso de Preparação de Obreiros, 2013, no IBEL (Instituto Bíblico Eduardo Lane), em Patrocínio/MG. Em 2014 a programação é fazer em janeiro a Escola de Sexualidade e em fevereiro a Escola de Aconselhamento em Sexualidade, ambas na Avalanche Missões Urbanas Underground, na cidade de Vitória-ES.
   
         Se você tem interesse em apoiar esta família e se envolver nesta missão, entre em contato com ela através dos dados a seguir. Caso queira também apoiar financeiramente, abaixo os dados bancários.  

Dados Bancários:
Titular: Nilton César Ferreira
Banco: Caixa Econômica Federal
Agencia: 3152 – Conta Poupança: 13059-9 – Operação: 013

Contatos:
Tel. (34) 9124-8730
e-mail: niltoncesarf2@gmail.com / francielegsouza@gmail.com
facebook.com/niltoncesarferreira

Facebook.com/francielegsouza

CURSO KAIRÓS - DIAS 04-06 / 11-13 DE ABRIL - UBERABA - MG

Curso Kairós é uma jornada de capacitação em evangelismo e missões, desenvolvida para educar, inspirar e desafiar cristãos para que participem ativamente do cumprimento da Grande Comissão.

Internacionalmente, o Curso Kairós é vinculado à Living Springs International. No Brasil, somos associados ao Instituto Ágape de Evangelismo e Missões e à Sepal - Servindo aos Pastores e Líderes, sendo que nossa equipe é formada por pessoas de diferentes origens denominacionais e missionários de diferentes agências.

O curso, embora seja profundo e aborde aspectos dos mais relevantes para a vida cristã, é simples e dinâmico, sendo utilizadas várias ferramentas de aprendizado, tais como: grupos de crescimento, aulas, devocionais, videos, intercessão pelos não alcançados e muito mais.

O Curso Kairós é ministrado por uma equipe de facilitadores habilitados e é divido em quatro áreas: bíblica, histórica, estratégica e cultural. Kairós é uma jornada de aprendizado com duração de 50 horas, sendo 25h em sala e 25h em atividades complementares.

Nossa visão: "Toda a Igreja mobilizada para a missão transcultural, alcançando os não-alcançados".

Nossa missão: "Apresentar o Curso Kairós à Igreja com excelência, encorajando o surgimento de estratégias e movimentos missionários".

Curso Kairós - dias 04-06 / 11-13 de Abril (dois finais de semana) - Uberaba - MG
Local: II Igreja Presbiteriana de Uberaba
Endereço: Av. Prudente de Morais, 465, Bairro Abadia

Horários:
04 de Abril (Sexta) - 19:00-21:30
05 de Abril (Sábado) - 9:00-12:00 e 14:00-17:00
06 de Abril (Domingo) - 9:00-12:00 e 14:00-17:00
11 de Abril (Sexta) - 19:00-21:30
12 de Abril (Sábado) - 9:00-12:00 e 14:00-18:00
13 de Abril (Domingo) - 9:00-12:00 e 14:00-17:00
Procedimento de inscrição:

1. O processo de inscrição será iniciado através do envio de e-mail para os seguintes endereços: victor@tectonerimpressoes.com.br ou ncm.noemi@gmail.com , seu e-mail será respondido com a ficha de inscrição para ser devidamente preenchida.

2. Após o preenchimento, será necessário efetuar o depósito na conta do Instituto Ágape no valor de R$100,00, correspondente à inscrição no curso, e que inclui, além do curso que será ministrado, o material didático, os lanches nos intervalos e as atividades especiais (o valor não cobre almoço, hospedagem ou transporte até o local).

           Banco: Santander / Agência: 3342 / Conta: 13000243-3

3. Após feito o depósito, enviar cópia do comprovante para os e-mail informados anteriormente.

Para maiores informações sobre o Curso Kairós, clique aqui ou entre em contato: agapemissoes@gmail.com.

REFLEXÃO MISSIONÁRIA – CANÇÕES DO IDE

Todo Cristão decide seguir Jesus, mas TODO cristão iria até onde Jesus iria? Ops, Jesus está V-I-VO! Você iria até onde Jesus tem ido?

MÚSICA: FOLLOW YOU

INTERPRETE: LEELAND (Feat. Brandon Heath)





TE SEGUIR
  
Você vive entre o menor destes
O cansado e o fraco
E seria uma tragédia
Para mim voltar atrás
Você supriu todas as minhas necessidades
Quando eu estava morto Você me deu vida
Então como eu poderia não doar isso de bom grado?

E eu vou...
Te seguir até o lares dos quebrantados
Te seguir pelo o mundo
Conhecer as necessidade dos pobres e necessitados, Deus
Te seguir pelo mundo

Use minha mãos, use meus pés
Para fazer Teu reino vir
Aos confins da terra
Até que sua obra seja feita
Fé sem obras é morta
Na cruz seu sangue foi derramado
Então como eu poderia não doar isso de bom grado?

E eu te dou tudo de mim mesmo
Eu te dou tudo de mim mesmo
Eu te dou tudo de mim mesmo pra Ti.


A IGREJA QUE ''DEIXOU DE SER ISSO'', MAS "NÃO SABE SER AQUILO" - ÚTIL E RELEVANTE

Por Antognoni Misael.



Antes ele bebia, hoje não bebe mais”, “antes ele se prostituía, hoje não se prostitui mais”, “antes ele mentia, hoje não mente mais”, “antes ele era pobre, hoje tem um carro e uma casa”…

Frequentar uma igreja e ter no currículo o abandono de uma prática pecaminosa tem sido a “confissão de fé” de muita gente na igreja evangélica brasileira. Por isso não é a toa que há uma relação inversamente proporcional entre crescimento e relevância em nosso meio. Somos mais de 40 milhões de evangélicos! Uau!

As igrejas incham, incham, incham. Mas, ao que parece, a grande parte dessa massa enquadra-se no discurso do “não faço mais” e só; ao final ela se converte em meros números, dados estatísticos e em dízimos e ofertas.

A crise em nosso meio é tão anacrônica que não conseguimos diagnosticar a raiz do problema. Às vezes, de alguma forma, estamos dentro do problema, ou somos nós mesmos o próprio problema. Mas, neste viés, o da omissão, é possível conjecturar um pouco sobre nosso papel no corpo.

Nossas igrejas estão lotadas de novos crentes (convertidos ou não). Isto é fato. Crentes que necessitam de um discipulado e ao mesmo tempo precisam se encarregar de por as mãos no arado e iniciarem o que chamamos de boas obras. Portanto, a coisa não termina apenas na confissão barata de que “antes eu era adúltero, mas hoje sou fiel”. Ao passo que, “não fazer algo” e  viver na prática do pecado não tem tanta diferença, principalmente quando se supõe que alguém recebeu a mente de Cristo, mas uma vive  medíocre ao redor do próprio umbigo .

Sendo bem sincero, o que ocorre é: quando uma igreja não é relevante para o mundo, o novo “convertido” logo aprende, a partir de sua comunidade que tudo tá resolvido: agora ele é benção, é filho do Rei, é cabeça e não cauda, e por aí vai… Inicia-se o processo de domesticação da fé. Algo terrível! Isto porque neste campo há uma infinda batalha entre o que eu quero fazer, e o que eu devo – Paulo fala sobre isso em Romanos 6.1. Então, já que eu tenho um testemunho de que “não sou mais aquilo”, e alguém “espiritualizado” legitimou minha salvação (ou mandou que se escrevesse meu nome no livro da vida), eu me deleito em Deus apenas naquilo que me é interessante, e não o que é interesse para o meu semelhante.

Não sei se na sua igreja ocorre isso. Mas nos tradicionais cultos domingueiros, muitas estão lotadas, mas simplesmente porque seus fiéis são meros consumidores a fim de receberem alguma benesse de Deus para passarem a semana na “benção”. Puro egoísmo e amor ao próprio ventre. O chamamento de Deus não para que vivamos de receber, mas para que vivamos para se doar, dar, morrer, renunciar.

Nestes casos o senhorio de Cristo torna-se algo convencional, e relacione isso ao que temos visto e ouvido em relação aos “evangelhos de hoje”. Lamentavelmente, digo sem medo de errar, a imitação de Jesus feita pela igreja brasileira é uma imitação pirata, e das piores.

O que tento dizer é que, tristemente, muitos dos crentes não tem se doado em favor do próximo. Somos conhecidos pela omissão, e não pelo que fazemos de relevante para com os mais necessitam de compaixão.
Na maioria das nossas igrejas, os projetos não são úteis, mas fúteis.Isso é reflexo deste anacronismo do cristão omisso, que deixou de ser o que era, mas que hoje não sabe ser, e vice-versa.

Imagine se cada igreja no Brasil evangelizasse, servisse e se envolvesse ao menos com a rua a qual está localizada. Certamente estes 40 milhões de evangélicos seriam conhecidos por toda a nação pela doação, amor e compaixão pela sociedade.

 
A lógica de todo este enredo é que, se alguém está em Cristo e nova criatura se tornou, deve compreender que é feitura de Deus, criado em Cristo Jesus para as boas obras. Não adianta ficar no “eu era”, é preciso algo mais, muito mais…


Antognoni Misael é blogueiro e busca fazer a diferença através do site www.artedechocar.com