"Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência..."

Intercessão

Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador, que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade” (1 Timóteo 2: 1-4, NVI).

Orar é falar com Deus. Graças a Jesus, o nosso único Mediador, podemos ter acesso direto à presença do Pai. A Ele podemos apresentar adoração e louvor, assim como expressar nossa gratidão. Adoramos a Deus por quem Ele é. Louvamos e agradecemos a Deus pelo que Ele faz.

Quando oramos, também apresentamos a Ele nossas necessidades. Deus é Todo-Poderoso, o que significa que, conforme seu caráter e vontade, pode atender nossas súplicas. Para Ele, nada é impossível. Apresentamos ainda as necessidades de outros, sejam indivíduos, famílias, comunidades ou nações inteiras. Interceder pelo nosso próximo é uma forma de expressar amor, e isso precisamos fazer.

O Instituto Ágape divulga informações não apenas para levar conhecimento. O nosso desejo é que esse conhecimento sirva a um propósito prático, sendo a intercessão pelos missionários, comunidades e nações uma das formas de alcançar tal propósito.

Como foi afirmado no Pacto de Lausanne, “estamos empenhados num permanente conflito espiritual com os principados e potestades do mal, que querem destruir a igreja e frustrar sua tarefa de evangelização mundial. Sabemos da necessidade de nos revestirmos da armadura de Deus e combater esta batalha com as armas espirituais da verdade e da oração” (saiba mais sobre o Pacto clicando aqui).

Leia o conteúdo desse blog, as cartas de oração aqui inseridas, as notícias e artigos publicados. Mas, não apenas adquira conhecimento. Apresente a Deus os motivos de oração divulgados, pois o Senhor age por meio da oração daqueles que a Ele clamam. Se não fosse assim, o apóstolo Paulo não havia sido tão enfático ao dizer: “orem também por mim, para que quando eu falar, seja-me dada a mensagem a fim de que, destemidamente, torne conhecido o mistério do evangelho, pelo qual sou embaixador preso em correntes. Orem para que, permanecendo nele, eu fale com coragem, como me cumpre fazer” (Efésios 6: 19-20, NVI).